FNU e SINDÁGUA participam de plenária da ONU sobre a água

FNU e SINDÁGUA participam de plenária da ONU sobre a água

2 de fevereiro de 2023 0 Por Comunicação Sindágua-MG

A Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) e o SINDÁGUA estão participando da terceira edição dos Diálogos Regionais da Água na América Latina e no Caribe, que está sendo realizada em Santiago do Chile, de forma híbrida (presencial e virtual).

A conferência, que começou nesta quarta-feira (1/2) e segue até sexta-feira (3/2), é preparatória para a Conferência da Água da ONU 2023, que será realizada de 22 a 24 de março, em Nova Iorque. O tema principal é a avaliação do cumprimento do ODS 6 (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), que visa garantir a disponibilidade da água e sua gestão sustentável e saneamento para todos, além de alcançar uma transição hídrica sustentável e inclusiva.

Os objetivos do evento, promovido pela Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), são comunicar e consolidar os compromissos adquiridos para acelerar a implementação do ODS 6 na América Latina e no Caribe, trocar experiências e lições aprendidas para o seu cumprimento e lançar a Agenda de Ação Regional para a Água. A conferência conta com a participação do secretário de Comunicação da FNU, Lucas Tonaco, diretor da mesma pasta no SINDÁGUA.

As sessões dos Diálogos Regionais da Água 2023 são orientadas de acordo com as linhas temáticas da Conferência das Nações Unidas sobre a Água 2023. A estrutura se assemelha aos temas que a conferência da ONU promove: água e clima; água e desenvolvimento sustentável; água e financiamento; água e cooperação; água, energia, alimentos e meio ambiente.

A postagem de nossa participação foi replicada pela ONU e pelo membro do seu alto comissário, Pedro Arrojo, Relator Especial para os Direitos Humanos à Àgua Potável e Saneamento.

FEVEREIRO AZUL
Nesta quarta-feira, começou também o movimento Fevereiro Azul – Rumo à Conferência da Água ONU 2023, em defesa da água e do saneamento como direitos humanos e por serviços acessíveis a todos, sem discriminação, com gestão pública e controle social.